ESCOLHA DA ÁREA TEMÁTICA

Antes de iniciar a pesquisa propriamente dita, é necessário definir qual será o conteúdo pesquisado. Primeiramente, define-se a área das ciências que se vai pesquisar, no nosso caso é a sociologia.

Depois, deve-se escolher uma área temática/tema, que necessariamente deve fazer parte da área das ciências em questão -em nosso caso a sociologia. Pense em seus interesses de pesquisa na área temática/tema escolhido e inicie sua sondagem a respeito dela:

  • leia ou assista alguma coisa a respeito;
  • anote suas dúvidas, pontos que considerou mais interessantes, mais polêmicos ou mais relevantes para desenvolver uma pesquisa, troque ideias com quem está orientando você e com seus colegas;

A escolha de uma área temática/tema numa pesquisa científica/trabalho acadêmico deve ser cuidadosamente medida, pois será muito difícil, se não impossível, pesquisar sobre uma área temática/tema ampla demais. Corre-se o risco de abordá-la de maneira insuficiente ou perder-se nos prazos devido ao excesso de material para se trabalhar na pesquisa.

Área temática/Tema geral e amplo

Na sociologia, você encontrará áreas temáticas/temas gerais e amplos que são próprios dessa área científica, como por exemplo: trabalho; desemprego; classes sociais; cultura; etnia; gênero; política; movimentos sociais; desigualdades sociais; pensamento social; formação social; e muitos outros.

A escolha da área temática/tema pode ocorrer de várias maneiras:

  • ou você escolhe a área temática/tema que mais desperta seu interesse e curiosidade;
  • ou você recebe uma área temática/tema definido por quem irá orientar sua pesquisa;
  • ou, se você está a serviço de uma comunidade, ela definirá qual a área temática/tema que tem mais relevância para a vida desse grupo social.

ANOTE O SUA ÁREA TEMÁTICA/TEMA GERAL NO RELATÓRIO E PESQUISA.

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário

RECORTE DA ÁREA TEMÁTICA/TEMA

A partir da definição de sua área temática/tema geral ampla, procede-se ao recorte da mesma.

RECORTES ESSENCIAIS OU PRIMÁRIOS

Os recortes de sua área temática/tema de pesquisa têm como finalidade buscar o foco de seu trabalho. Para tanto, essas questões orientarão seu recorte:

  1. RECORTE TEMÁTICO – Qual a problemática que mais motiva sua pesquisa, ou seja, que aspecto de sua área temática/tema gostaria de conhecer mais aprofundadamente?
  2. RECORTE ESPACIAL – Sua problemática refere-se a uma única região? Ou ocorre em diversos lugares do mundo? É necessário definir em que país e/ou região e/ou estado e/ou cidade será focada sua pesquisa.
  3. RECORTE TEMPORAL- Essa problemática pode estar localizada em diferentes momentos históricos. Qual a época que será abordada?
  4. RECORTE DOS SUJEITOS DA PESQUISA – Que grupos sociais são seu foco de pesquisa?

Exemplo:Ideologia - LUPA

  • área temática/tema: desemprego (tema geral e amplo);
  • recorte da problemática: os setores da indústria química que mais sofreram com o desemprego;
  • recorte espacial: no Estado de São Paulo;
  • recorte temporal: no primeiro semestre de 2015;
  • trabalhadores dos setores da indústria química, conforme recortes já mencionados

Outros exemplos:

  • desigualdade de gênero na adolescência, em Portugal, no século XX;
  • modos de produção conhecidos na história dos povos das Américas, nos séculos V a XIX;
  • o desemprego no século XIX, após a libertação dos escravos no Brasil e a vinda de imigrantes europeus;
  • comparação entre os tipos de contratos de trabalho pela CLT no período de 1950 a 1960 e no período de 2005 a 2015, na região sudeste do Brasil, nas montadores de automóveis.

RECORTES NUMA PESQUISA CIENTÍFICA/TRABALHO ACADÊMICO DE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA MAIS AVANÇADA

Outras questões podem ser levantadas quando se quer pesquisar de uma forma mais complexificada numa revisão bibliográfica:

A pesquisa pode apresentar diferentes perspectivas ou diferentes olhares sobre uma mesma problemática. Esses diferentes olhares podem ter sido lançados por autores diversos que estudaram tal problemática com olhares específicos.

Exemplo:

área temática/tema: desemprego (tema geral e amplo);

  • recorte da problemática: os setores da indústria química que mais sofreram com o desemprego;
  • recorte espacial: no Estado de São Paulo;
  • recorte temporal: no primeiro semestre de 2015;
  • segundo autores brasileiros que estudam o mundo do trabalho (olhares de autores específicos).

Outros exemplos:

  • caraterísticas das desigualdades de classes sociais, na Europa do século XIX, sob o ponto de vista de Karl Marx e de Max Weber;
  • lutas contra a desigualdade étnica no Chile, durante a ditadura militar do general Pinochet, segundo pesquisadores chilenos.

É muito importante atentar para o fato de que o recorte da área temática/tema é somente o início de uma definição que está sujeita a mudanças durante o processo de levantamento bibliográfico, pois no meio desse caminho seus interesses podem tomar um rumo diferente do inicial ou você pode encontrar materiais interessantes sobre outro rumo ou até pode não encontrar material para sua temática inicial e ter que buscar outra. Entretanto, é preciso cuidado para não dispersar-se, assim como é fundamental persistir e buscar superar os obstáculos iniciais. O levantamento bibliográfico pode ser comparado a um trabalho de “garimpo” de sua fontes de pesquisa.

Atente para o fato de que o material para a pesquisa tem que ser buscado em fontes confiáveis, sejam livros, revistas científicas ou de alto nível de credibilidade na checagem de informações, vídeo-aulas, documentários, sites, blogs e portais, idem.

Para ler mais sobre a definição do tema, leia o livro “Como se Faz uma Tese”, de Umberto Eco.

ANOTE SEU RECORTE DE TEMA NO RELATÓRIO DE PESQUISA.

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário

FORMULAÇÃO DA QUESTÃO DE PESQUISA ou HIPÓTESE

A partir do recorte de tema definido, elabore uma questão de pesquisa, que servirá como guia para sua pesquisa científica.

Por exemplo:

“Quais as características, causas e consequências do desemprego nos setores que mais sofreram com esse isso, nas áreas urbanas do estado de São Paulo, no primeiro semestre de 2015?”

Em seguida, veja se você consegue construir uma hipótese para responder a essa questão de pesquisa, ou seja, tente elaborar uma tese hipotética que seria testada por meio de sua pesquisa. Por meio da pesquisa, a hipótese será comprovada, desconfirmada ou outras hipóteses ou desdobramentos podem ser criados.

Por exemplo:

“Nas áreas urbanas do estado de São Paulo, no primeiro semestre de 2015, os setores que mais sofreram com o desemprego apresentam características, causas e consequências semelhantes.”

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário

ROTEIRO DE PESQUISA

O ROTEIRO DE PESQUISA deverá conter uma lista de itens que serão buscados em seu LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO, para que se obtenha as informações que serão imprescindíveis como base para que se possa responder à questão de pesquisa, testando a hipótese levantada.

Esse ROTEIRO DE PESQUISA auxiliará em três momentos, essencialmente:

  • no LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO e SELEÇÃO DA BIBLIOGRAFIA, para orientar a escolha das fontes bibliográficas que contém as informações essenciais que deverão constar em cada resumo;
  •  na construção da intertextualidade, no DESENVOLVIMENTO do trabalho acadêmico;
  • na redação da CONCLUSÃO E DA INTRODUÇÃO do trabalho acadêmico.

EXEMPLO

ÁREA TEMÁTICA

Movimento social de negros e negras

RECORTE DO TEMA

No Brasil, a relação entre a escravização de negras e negros, a construção da discriminação e exclusão racial dessa população e a luta do movimento negro pelas políticas de cotas.

ROTEIRO DE PESQUISA

  1. informações sobre as condições de vida  e de trabalho da população negra durante a escravização;
  2. informações sobre a discussão de abolicionistas sobre como deveriam ser os termos de indenização e de garantias de trabalho e acesso a bens e serviços pela população negra liberta em 1888, na abolição;
  3. informações sobre a maneira como ocorreu a não inclusão da população negra liberta na sociedade produtiva e na economia  e como isso contribuiu para a constituição das formas de racismo na atualidade;
  4. informações sobre como são as políticas de cotas para a população negra;
  5. informações sobre a partir de que momento os movimentos de negras e negros , na atualidade, deram ênfase às lutas pelas políticas de cotas.

 

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário

NORMAS ABNT – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS – NBR 6023/2002

Imagem no blog Prática da Pesquisa.

Imagem no blog Prática da Pesquisa.

Para conhecer melhor a NBR 6023/2002, da ABNT, que normatiza a apresentação das referências bibliográficas, consulte algumas das compilações indicadas:

1) Biblioteca CentralUniversidade Federal Rural do Rio de Janeiro

2) “NORMALIZAÇÃO DOCUMENTÁRIA PARA A PRODUÇÃOCIENTÍFICA DA UNESP”Normas para apresentação de Referências segundo a NBR 6023:2002 da ABNT


Ou, veja alguns exemplos da apresentação gráfica de como fazer suas Referências Bibliográficas, conforme explicações de Júnia Lessa Soares sobre as Normas ABNT para esta finalidade.

Artigos em Revistas/Periódicos em formato eletrônico:
SOBRENOME, Nome. Título do artigo sem aspas ou itálico. Nome da Revista/Periódico em itálico, local, volume, fascículo/número, página(s) inicial-final, data (mês e ano). Disponível em: Acesso em: dia mês e ano (para documentos on-line).
Exemplo:

CAZES, Leonardo. Quais são as notícias que podem ser temas de questões da prova do ENEM 2011? Professores respondem. O Globo, Rio de Janeiro, junho 2011. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/06/23/quais-sao-as-noticias-que-podem-ser-temas-de-questoes-da-prova-do-enem-2011-professores-respondem-924757152.asp> . Acesso em: 31 de jul. 2011.


Livro de um só autor:
SOBRENOME, Nome. Título ou Título ou Título: subtítulo. 0ª. ed. Local: Editora, 2000. 00 p.
Livro de dois autores:
SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome. Título ou Título ou Título: subtítulo. 0ª. ed. Local: Editora, 2000. 00 p.
Livro de três autores:
SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome. Título ou Título ou Título: subtítulo. 0ª. ed. Local: Editora, 2000. 00 p.
Livro de mais de três autores:

SOBRENOME, Nome et al. Título ou Título ou Título: subtítulo. 0ª. ed. Local: Editora, 2000. 00 p.



Capítulo/Artigo em livro: (não se repete o nome se o autor for o mesmo e a parte não tem nome próprio /sendo o mesmo autor, apenas, usa-se travessão de seis espaços na segunda vez)

SOBRENOME, Nome. Título do capítulo/artigo. In: SOBRENOME, Nome (Ed./Org.). Título ou Título ou Título: subtítulo. 0ª. ed. Local: Editora, 2000. volume, capítulo/artigo, páginas inicial-final.


Artigos em Revistas/Periódicos:

SOBRENOME, Nome. Título do artigo sem aspas ou itálico. Nome da Revista/Periódico em itálico, local, volume, fascículo/número, página(s) inicial-final, data (mês e ano).


Dissertações e Teses:

SOBRENOME, Nome. Título ou Título ou Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de páginas (de folhas se publicada só no anverso) ou volumes. Dissertação/Tese (Mestrado/Doutorado em Área) – Nome da Instituição (Faculdade e Universidade), local, ano de defesa.



Artigos em jornais:

SOBRENOME, Nome. Título do artigo sem aspas ou itálico. Nome do jornal em itálico,Local, dia, mês, ano. Número ou título do caderno, seção ou suplemento, páginas inicial-final.


REFERÊNCIAS
× lista de todas as obras citadas no texto
× confira se todos os autores que você citou estão constando na lista de REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
× e também se todos que estão na lista, realmente foram citados;
× caso você queira poderá fazer uma lista das OBRAS CONSULTADAS, para os autores que subsidiam seu pensamento, mas que não foram citados

× esta lista deverá vir depois da de REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 6023. Informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002a.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10520 Informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de janeiro, 2002c.
FRANÇA, Júnia Lessa & VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para Normalização de Publicações Técnico-Científicas. 7ª. Ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004. 242 p.
(Este exemplar da Júnia Lessa França pode ser encontrado na Biblioteca da FCM: Faculdade de Medicina da UNICAMP)

Figura 1 – extraída do site Contextos Históricos. Disponível em: <http://contextoshistoricos.blogspot.com.br/2011/04/cndl-colegio-notre-dame-de-lourdes.html&gt;. Acesso em: 4 de mai. 2014.

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO

Para responder à sua questão de pesquisa, realize um levantamento bibliográfico em torno dela.

Sobre a credibilidade das fontes bibliográficas

Esse levantamento bibliográfico poderá ser feito em fontes virtuais, na internet, ou diretamente em livros; revistas científicas especializadas; Imagem no blog Prática da Pesquisa.vídeo-aulas; arquivos indicados; documentários; sites; blogs e portais e outras fontes, desde que tenham alto nível de credibilidade na checagem de informações, pois:

  • as fontes bibliográficas confiáveis são os alicerces sólidos para que sua pesquisa esteja bem fundamentada;
  • até este momento o que pode ter sido aceito em seus trabalhos escolares, geralmente, não tinha o nível de exigência que uma pesquisa de Iniciação em Pesquisa Científica e um Trabalho Acadêmico requerem; você poderá estranhar, mas isso faz parte desse processo;
  • lembre-se que nós, professores, também passamos por essa etapa de estranhamento e de assimilação de novos parâmetros de pesquisa quando estudávamos;
  • somente os trabalhos que seguirem essas exigências poderão ser desenvolvidos e aceitos; algumas pessoas tentam “ganhar tempo” pulando esta etapa de aprendizado e, na verdade, terão que refazê-la; tenham paciência.

Pesquisa no Google Acadêmico

Nesta pesquisa, desenvolvida em 2016, estamos focando mais nosso trabalho nas buscas no Google Acadêmico para páginas em português. Futuramente pretendemos desenvolver orientações para outros tipos de fontes. Entretanto, se encontrar fontes bibliográficas não virtuais e confiáveis, inclua-as em seu levantamento bibliográfico.

Procedimentos durante o Levantamento Bibliográfico

  • quando encontrar algum material que considere que interessa ao seu recorte de área temática/tema ou sua questão de pesquisa, separe-o, faça um download e salve em uma pasta destinada ao levantamento bibliográfico;
  • anote imediatamente suas fontes de pesquisa, pois será a única maneira de lembrar-se de onde retirou seus conteúdos; se deixar para fazer isso ao final da pesquisa, corre o risco de não conseguir mais recuperar esses dados ou perderá muito tempo fazendo isso;
  • faça essas anotações diretamente na página específica para REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, no seu arquivo de trabalho acadêmico, seguindo as Normas ABNT para referências bibliográficas.
  • o tipo de fonte bibliográfica -se serão textos, vídeos, etc- variam  conforme a orientação específica de cada professor.

Orientações para utilização da Internet na sua pesquisa científica

Deixe aberta as seguintes janelas da internet:

  • dessas orientações para pesquisa científica/trabalho acadêmico, para ir guiando-se na metodologia da pesquisa;
  • seu e-mail, Facebook ou nuvens que utiliza, para fazer cópias de segurança dos seus arquivos, em anexos;
  • as janelas em que está realizando suas pesquisas bibliográficas.

Alterações nos rumos da pesquisa

Durante este momento pode ocorrer que você perceba pistas que ajudem na próxima etapa de desenvolvimento do trabalho acadêmico ou que até alterem parcialmente sua questão de pesquisa.


Pesquisas em outras fontes, na internet

Apesar de em 2016 estarmos restringindo nossas pesquisas apenas às buscas no Google Acadêmico, elencamos aqui outros caminhos para quem está iniciando este tipo de pesquisa científica e precise deles para outras pesquisas. É aconselhável que não fiquem restritos apenas ao que indicamos. Seguindo parâmetros científicos, busque em fontes variadas. Leia antes, conheça e selecione o que lhe convém:

  • algumas Dicas para pesquisa na internet que podem ajudar na sua seleção de conteúdo;
  • temos disponível um banco de arquivos selecionados (vídeos, reportagens, imagens, indicações de textos acadêmicos e não acadêmicos, etc) no grupo “Pesquisas – Sociologia, Reflexão e Ação”, no Facebook;
  • disponibilizamos, também, uma lista de Links Indicados que já analisamos e até a data da análise fora considerados por nós confiáveis;
  • procure textos, livros, vídeos, filmes, imagens em Nosso OnDrive, neste blog;
  • busque, também, nas páginas e categorias do blog, como “Temas Sociológicos”,“Dossiês Temáticos”, que aparecem quando desliza o cursor sobre o Menu deste blog;
  • busque na caixa de “Pesquisa” do blog, por meio de palavras chaves.
Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário

SELEÇÃO DA BIBLIOGRAFIA A SER RESUMIDA

Orientações sobre textos fundamentais e complementares para cada série.


PRIMEIRAS SÉRIES: Dentre a bibliografia que o grupo encontrou no Google Acadêmico, selecionaremos juntas(os) 3 ou 4 textos ou livros/capítulos de livros que sejam mais significativos para responder à sua questão de pesquisa.



SEGUNDAS SÉRIES: Dentre a bibliografia que o grupo encontrou no Google Acadêmico, selecionaremos juntas(os) 5 ou 6 textos ou livros/capítulos de livros que sejam mais significativos para responder à sua questão de pesquisa.


TERCEIRAS SÉRIES: Dentre a bibliografia que o grupo encontrou no Google Acadêmico, selecionaremos juntas(os) 5 ou 6 textos ou livros/capítulos de livros que sejam mais significativos para responder à sua questão de pesquisa.

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário

NORMA ABNT – CITAÇÕES DIRETAS E CITAÇÕES INDIRETAS – NBR 10520

O QUE SÃO CITAÇÕES DIRETAS E INDIRETAS?

Figura 1

Figura 1

São duas maneiras para nos referirmos ao que autoras e autores desenvolveram em suas publicações.

CITAÇÕES INDIRETAS

São informações extraídas da publicação de uma autora ou autor, para esclarecer ou complementar o que estamos escrevendo; são as ideias dos autores reescritas em forma de paráfrases ou de resumos.

A fonte consultada pode aparecer de duas formas:

  • sobrenome (data), sendo que inclusão de página é opcional [o sobrenome do autor, se estiver no texto (fora dos parênteses), deve ser em maiúsculas e minúsculas, esteja ele em que parte do texto estiver]; ou
  • (SOBRENOME, data, p. xx-xx) ao final da citação, sendo que se houver várias citações indiretas juntas, deverão estar em ordem alfabética: (SOBRENOME, data; SOBRENOME, data; …).

CITAÇÕES DIRETAS NO INTERIOR DO TEXTO

São as transcrições textuais [literais] de partes de obras do autoras e de autores, com até três linhas:

  • inserem-se no interior do texto;
  • entre aspas duplas, sendo as aspas simples para citação no interior da citação;
  • sem itálico
  • supressões entre colchetes […]; inclusive no início e no fim das citações, quando houver supressão;
  • interpolações, acréscimos ou comentários, entre colchetes [ ];
  • fonte consultada pode aparecer de duas formas:
  • (SOBRENOME, data, p. xx-xx) ao final da citação; ou
  • sobrenome (data, p. xx) [o sobrenome do autor, se estiver no texto, fora dos parênteses, deve ser em maiúsculas e minúsculas e ser seguido de (data, p. xx-xx), esteja ele em que parte do texto estiver]

CITAÇÕES DIRETAS EM PARÁGRAFO INDEPENDENTE

São as transcrições textuais [literais] de partes das obras de autoras e de autores, com mais de três linhas:

  • em parágrafo especial, com recuo de 4 cm da margem esquerda, sem aspas ou outros destaques;
  • com dois pontos no final do parágrafo anterior
  • com letra menor que a do restante do texto (fonte 11, se o texto for fonte 12, por exemplo);
  • com espaço simples;
  • supressões entre colchetes […]; inclusive no início e no fim das citações;
  • interpolações, acréscimos ou comentários, entre colchetes [  ];
  • fonte consultada (SOBRENOME, data, p. xx-xx), ao final da citação.


EXEMPLO DE TEXTO QUE PODERIA SER PARTE DE SUAS FONTES BIBLIOGRÁFICAS

A política migratória brasileira no Pós-Segunda Guerra Mundial e os refugiados: uma leitura da Revista Imigração e Colonização

        Apesar  de  numericamente  muito  inferior  em  termos  absolutos, a  imigração  dos chamados  “deslocados  de  guerra”  num  momento imediatamente posterior à guerra é importante por diversos motivos. O Brasil foi um dos primeiros países a se interessar pela seleção desse tipo de imigrante e um dos primeiros signatários do acordo proposto pela ONU para a colocação desses imigrantes. Não se tratava do propalado desejo de ajudar a resolver um problema humanitário, mas do interesse pela mão de-obra qualificada desses imigrantes.

        Para os Aliados, quatro soluções se  apresentavam  para  resolver  o problema dos remanescentes da guerra nas chamadas zonas americana, inglesa, francesa e russa: 

a) repatriação  forçada;  b)  fechamento  dos  campos  e  entrega  dos  seus habitantes à Alemanha e à Áustria; c) manutenção indefinida dos mesmos nos referidos campos; e d) estabelecimento noutras terras, de preferência distantes (Lobo, 1950: 92).

        A solução foi a criação de um organismo especial da ONU, a OIR, com sede em Genebra. Embora o Brasil não fosse dos primeiros a ratificar o acordo que criava a OIR, foi dos primeiros a assiná-lo e, mais importante, foi o primeiro país a enviar uma comissão à Alemanha para a seleção inicial de 1.000 famílias, num total de 5.000 pessoas.”

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA (DO EXEMPLO)
SALLES, M. R. R. A política migratória brasileira no Pós-Segunda Guerra Mundial e os refugiados: uma leitura da Revista Imigração e Colonização. Cena Internacional, Brasília, v. 9, n. 2, 2007. Disponível em: <http://132.248.9.34/hevila/CENAInternacional/2007/vol9/no2/7.pdf&gt;. Acesso em: 2 de mai. 2014.

EXEMPLO DE CITAÇÃO INDIRETA DESSE TEXTO

        Segundo Salles (2007, p. 188), a ONU propôs um acordo para colocação dos “deslocados de guerra” e o Brasil foi um dos primeiros países a selecioná-los para imigração, pois havia interesse nessa mão-de-obra qualificada.

EXEMPLO DE CITAÇÃO DIRETA NO INTERIOR DO TEXTO

Como a citação direta precisa estar contextualizada, fizemo-no no interior de um texto com citação indireta. A citação direta pode destacar alguma parte que considere importante.

         Segundo Salles (2007, p. 188), o número de deslocados de guerra era pequeno diante da quantidade de remanescentes da guerra em zonas sob controle americano, inglês, francês e russo. Apesar disso, a ONU propôs um acordo para colocação desses imigrantes em terras distantes. O Brasil teve interesse em aderir a ele e foi um dos primeiros a iniciar a seleção desses imigrantes: “Não se tratava do propalado desejo de ajudar a resolver um problema humanitário, mas do interesse pela mão de-obra qualificada desses imigrantes.”

EXEMPLO DE CITAÇÃO DIRETA COM MAIS DE TRÊS LINHAS, EM PARÁGRAFO ESPECIAL

        Segundo Salles (2007), o número de remanescentes  da guerra continha um pequeno contingente de “deslocados de guerra” que tornou-se objeto de um acordo do qual o Brasil foi um dos primeiros signatários, atendendo ao interesse nacional brasileiro de trazer mão-de-obra qualificada e ao interesse dos aliados de livrarem-se do encargo da repatriação forçada, da manutenção dos campos ou da entrega dos habitantes dos campos à Alemanha ou Áustria:

        Apesar  de  numericamente  muito  inferior  em  termos  absolutos, a  imigração  dos chamados  “deslocados  de  guerra”  num momento imediatamente posterior à guerra é importante por diversos motivos. O Brasil foi um dos primeiros países a se interessar pela seleção desse tipo de imigrante e um dos primeiros signatários do acordo proposto pela ONU para a colocação desses imigrantes. Não se tratava do propalado desejo de ajudar a resolver um problema humanitário, mas do interesse pela mão de-obra qualificada desses imigrantes.

        Para  os  Aliados,  quatro  soluções  se  apresentavam  para resolver  o problema dos remanescentes da guerra nas chamadas zonas americana, inglesa, francesa e russa:

a)  repatriação  forçada;  b)  fechamento  dos  campos  e  entrega  dos  seus habitantes à Alemanha e à Áustria; c) manutenção indefinida dos mesmos nos referidos campos; e d) estabelecimento noutras terras, de preferência distantes (Lobo, 1950: 92).

        A solução foi a criação de um organismo especial da ONU, a OIR, com sede em Genebra. Embora o Brasil não fosse dos primeiros a ratificar o acordo que criava a OIR, foi dos primeiros a assiná-lo e, mais importante, foi o primeiro país a enviar uma comissão à Alemanha para a seleção inicial de 1.000 famílias, num total de 5.000 pessoas. (SALLES, 2007, p. 188)


MAIS INFORMAÇÕES SOBRE CITAÇÕES

CITAÇÃO DE CITAÇÃO

  • em caso de autor citado dentro de uma obra da sua REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA, nunca deixe de citar a obra de referência;
  • ex: Michel Foucault (1976 citado por / apud / conforme / segundo SOUZA e GALLO, 2002, p. xx); ou
  • ex: (FOUCAULT, 1976, p. xx apud SOUZA e GALLO, 2002, p. xx)

CITAÇÃO VERBAL

  • coloca-se ao final da citação a seguinte expressão, entre parênteses: (Informação verbal);
  • coloca-se em nota de rodapé os dados disponíveis sobre a informação verbal, ex: Informe passado em reunião ….., em mês de ano.

CITAÇÃO DE TRECHOS OUVIDOS EM AULAS, PALESTRAS, DEBATES, ETC:

  • indicar entre parênteses a expressão (informação verbal);
  • mencionar os dados disponíveis em NOTA DE RODAPÉ.

CITAÇÃO DE INFORMAÇÃO EXTRAÍDA DAS REDES DE COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA

  • indicar o endereço eletrônico no rodapé da página.

COMO UTILIZAR AS CITAÇÕES?
Utilize citações indiretas na maioria do seu texto e pouquíssimas citações diretas.

Seja econômico em relação à utilização de citações diretas, pois elas são uma cópia literal de um texto e não demonstram exatamente que você compreendeu e nem que soube expressar o que compreendeu. Utilize-as apenas em casos absolutamente necessários. Um bom texto (redação, pesquisa, resumo, resenha, relatório, etc) baseado em alguma fonte bibliográfica deverá conter citações indiretas, em sua maioria.

POR QUE PRECISAMOS CITAR DIRETA OU INDIRETAMENTE AS AUTORAS E OS AUTORES?

As citações são mais do que uma normatização, uma burocracia, são o “mapa das pedras” para o nosso leitor. Citar detalhadamente é um ato de generosidade e compartilhamento do que você já conhece.

Ao escrevermos um texto ou apresentarmos um trabalho precisamos indicar de quem são as ideias ali reproduzidas, deixar bem claro quem são os autores ou autoras das ideias:

  • por respeito ao seu trabalho, que exigiu estudos, pesquisas, esforços;
  • para que não fiquemos perdidos entre as ideias de diversas autoras e autores e saibamos por onde recomeçar se precisarmos reconstruir nossos estudos, pesquisas e textos, etc;
  • para que, ao lerem nossos textos ou ouvirem nossas apresentações, outros saibam onde buscar mais sobre o que essa pessoa desenvolveu;
  • para que quem nos orienta ou avalia nossa pesquisa possa conferir se compreendemos corretamente o que lemos ou ouvimos;
  • finalmente, para seguirmos a Lei de Direitos Autorais -a esse respeito leia Direitos autorais em trabalhos acadêmicos, de João Augusto Cardoso.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 6023. Informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002a.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10520 Informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de janeiro, 2002c.

CARDOSO, João Augusto. Direitos autorais no trabalho acadêmico. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_86/Artigos/PDF/JoaoAugusto_rev86.pdf>. Acesso em: 8 de set. 2015.

FRANÇA, Júnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para Normalização de Publicações Técnico-Científicas. 7ª. Ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004. 242 p.

(Este exemplar da Júnia Lessa França pode ser encontrado na Biblioteca da FCM: Faculdade de Medicina da UNICAMP)

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 – extraída do blog Seminário Pilar. Disponível em: <http://seminariopilar12.blogspot.com.br/p/normas-para-entrega-do-projeto_22.html&gt;. Acesso em: 3 de mai. 2014.

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

PARÁFRASE

Escrever é fácil. Pablo Neruda9a091-escrever25c325a9f25c325a1cil

A paráfrase é a reescritura do texto original de forma a torná-lo mais claro, objetivo e compreensível. Também serve para demonstrar que se compreendeu as ideias originais do texto e se é capaz de reescrevê-las por meio de palavras ou frases diferentes. Paráfrase é uma espécie de tradução de um texto para a mesma língua.

A paráfrase sempre será o resultado da mediação que o interlocutor oferece a partir de sua leitura do texto. Por isso, quanto maior o conhecimento do mundo e da linguística, maior facilidade a pessoa terá para parafrasear.

As paráfrases são uma forma de se fazer citações indiretas, longas ou curtas.

Pode-se fazer uma paráfrase do texto integral -sem suprimir ou resumir/sintetizar nenhuma parte do texto original- ou uma paráfrase que resuma/sintetize o texto original, porém, sem perder as partes essenciais das informações contidas no texto original.

Para um estudo sobre determinado recorte de tema, pode-se parafrasear apenas as informações que são importantes para o enfoque do desse estudo, tomando-se o cuidado para não modificar o sentido expresso pela autora ou autor do texto original.

Numa paráfrase bem feita procura-se:

  • utilizar sinônimos ou vocábulos que correspondam ao mesmo sentido no texto original;
  • utilizar a mesma sequência de ideias que estão contidas no texto original, modificando a ordem apenas dentro do mesmo conjunto de ideias, sem prejudicar a linha de desenvolvimento das ideias do texto;
  • reproduzir todas as informações essenciais, sem omitir quaisquer delas;
  • modificar as construções das frases e períodos, passando o que está na voz passiva para a voz ativa e vice-versa; transformando o que está na forma negativa para a afirmativa; tornando uma pergunta seguida de resposta numa formulação que comporte as duas na forma afirmativa;
  • não se introduzir nenhum comentário ou informação nova, mesmo que pareça subentendida no texto;
  • citar a fonte ou autoria do texto.

Acessem os links para vídeoaulas sobre paráfrase.

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

RESUMINDO, FICHANDO OU RESENHANDO

Você irá resumir ou fichar ou resenhar o conteúdo de suas fontes bibliográficas. Uma dica muito importante para seus estudos, lembrada pela professora Danielle Jardini, é de que tudo o que você lê, assiste, etc pode ser utilizado agora ou no futuro. E, quando dizemos futuro, pode ser daqui a 1 ano, 10 anos, ou muito mais.

O hábito de estudar e resumir, fichar ou resenhar deve ser constante, pois imagine que você leu um livro e fez um trabalho, mas daqui a anos pedem, ou você quer desenvolver, novamente um trabalho com a mesma fonte bibliográfica… Não é bem mais fácil se já tiver um resumo ou fichamento ou resenha sobre essa fonte? Claro que em cada época da nossa vida vemos os mesmos conteúdos com outros olhos, ou seja, nossa percepção muda conforme mudamos e temos mais conhecimento de mundo e de teorias, etc, mas é sempre útil termos uma ideia sobre como lemos isso no primeiro momento.

Existem regras para resumir, fichar e resenhar. Para fazer quaisquer um dos três você utilizará paráfrases e citações. Portanto, leia nos links adiante sobre:

Inicie seus resumos ou fichamentos ou resenhas:

  • tire suas dúvidas antes de iniciar essa nova etapa;
  • você pode fazer um resumo, fichamento ou resenha completo de suas fontes bibliográficas;
  • ou pode extrair o que for essencial para responder à sua questão de pesquisa;
  • salve esses trabalhos conforme foi orientado nas Dicas para organização dos seus arquivos na internet.
Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , | Deixe um comentário