NORMA ABNT – CITAÇÕES DIRETAS E CITAÇÕES INDIRETAS – NBR 10520

O QUE SÃO CITAÇÕES DIRETAS E INDIRETAS?

Figura 1

Figura 1

São duas maneiras para nos referirmos ao que autoras e autores desenvolveram em suas publicações.

CITAÇÕES INDIRETAS

São informações extraídas da publicação de uma autora ou autor, para esclarecer ou complementar o que estamos escrevendo; são as ideias dos autores reescritas em forma de paráfrases ou de resumos.

A fonte consultada pode aparecer de duas formas:

  • sobrenome (data), sendo que inclusão de página é opcional [o sobrenome do autor, se estiver no texto (fora dos parênteses), deve ser em maiúsculas e minúsculas, esteja ele em que parte do texto estiver]; ou
  • (SOBRENOME, data, p. xx-xx) ao final da citação, sendo que se houver várias citações indiretas juntas, deverão estar em ordem alfabética: (SOBRENOME, data; SOBRENOME, data; …).

CITAÇÕES DIRETAS NO INTERIOR DO TEXTO

São as transcrições textuais [literais] de partes de obras do autoras e de autores, com até três linhas:

  • inserem-se no interior do texto;
  • entre aspas duplas, sendo as aspas simples para citação no interior da citação;
  • sem itálico
  • supressões entre colchetes […]; inclusive no início e no fim das citações, quando houver supressão;
  • interpolações, acréscimos ou comentários, entre colchetes [ ];
  • fonte consultada pode aparecer de duas formas:
  • (SOBRENOME, data, p. xx-xx) ao final da citação; ou
  • sobrenome (data, p. xx) [o sobrenome do autor, se estiver no texto, fora dos parênteses, deve ser em maiúsculas e minúsculas e ser seguido de (data, p. xx-xx), esteja ele em que parte do texto estiver]

CITAÇÕES DIRETAS EM PARÁGRAFO INDEPENDENTE

São as transcrições textuais [literais] de partes das obras de autoras e de autores, com mais de três linhas:

  • em parágrafo especial, com recuo de 4 cm da margem esquerda, sem aspas ou outros destaques;
  • com dois pontos no final do parágrafo anterior
  • com letra menor que a do restante do texto (fonte 11, se o texto for fonte 12, por exemplo);
  • com espaço simples;
  • supressões entre colchetes […]; inclusive no início e no fim das citações;
  • interpolações, acréscimos ou comentários, entre colchetes [  ];
  • fonte consultada (SOBRENOME, data, p. xx-xx), ao final da citação.


EXEMPLO DE TEXTO QUE PODERIA SER PARTE DE SUAS FONTES BIBLIOGRÁFICAS

A política migratória brasileira no Pós-Segunda Guerra Mundial e os refugiados: uma leitura da Revista Imigração e Colonização

        Apesar  de  numericamente  muito  inferior  em  termos  absolutos, a  imigração  dos chamados  “deslocados  de  guerra”  num  momento imediatamente posterior à guerra é importante por diversos motivos. O Brasil foi um dos primeiros países a se interessar pela seleção desse tipo de imigrante e um dos primeiros signatários do acordo proposto pela ONU para a colocação desses imigrantes. Não se tratava do propalado desejo de ajudar a resolver um problema humanitário, mas do interesse pela mão de-obra qualificada desses imigrantes.

        Para os Aliados, quatro soluções se  apresentavam  para  resolver  o problema dos remanescentes da guerra nas chamadas zonas americana, inglesa, francesa e russa: 

a) repatriação  forçada;  b)  fechamento  dos  campos  e  entrega  dos  seus habitantes à Alemanha e à Áustria; c) manutenção indefinida dos mesmos nos referidos campos; e d) estabelecimento noutras terras, de preferência distantes (Lobo, 1950: 92).

        A solução foi a criação de um organismo especial da ONU, a OIR, com sede em Genebra. Embora o Brasil não fosse dos primeiros a ratificar o acordo que criava a OIR, foi dos primeiros a assiná-lo e, mais importante, foi o primeiro país a enviar uma comissão à Alemanha para a seleção inicial de 1.000 famílias, num total de 5.000 pessoas.”

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA (DO EXEMPLO)
SALLES, M. R. R. A política migratória brasileira no Pós-Segunda Guerra Mundial e os refugiados: uma leitura da Revista Imigração e Colonização. Cena Internacional, Brasília, v. 9, n. 2, 2007. Disponível em: <http://132.248.9.34/hevila/CENAInternacional/2007/vol9/no2/7.pdf&gt;. Acesso em: 2 de mai. 2014.

EXEMPLO DE CITAÇÃO INDIRETA DESSE TEXTO

        Segundo Salles (2007, p. 188), a ONU propôs um acordo para colocação dos “deslocados de guerra” e o Brasil foi um dos primeiros países a selecioná-los para imigração, pois havia interesse nessa mão-de-obra qualificada.

EXEMPLO DE CITAÇÃO DIRETA NO INTERIOR DO TEXTO

Como a citação direta precisa estar contextualizada, fizemo-no no interior de um texto com citação indireta. A citação direta pode destacar alguma parte que considere importante.

         Segundo Salles (2007, p. 188), o número de deslocados de guerra era pequeno diante da quantidade de remanescentes da guerra em zonas sob controle americano, inglês, francês e russo. Apesar disso, a ONU propôs um acordo para colocação desses imigrantes em terras distantes. O Brasil teve interesse em aderir a ele e foi um dos primeiros a iniciar a seleção desses imigrantes: “Não se tratava do propalado desejo de ajudar a resolver um problema humanitário, mas do interesse pela mão de-obra qualificada desses imigrantes.”

EXEMPLO DE CITAÇÃO DIRETA COM MAIS DE TRÊS LINHAS, EM PARÁGRAFO ESPECIAL

        Segundo Salles (2007), o número de remanescentes  da guerra continha um pequeno contingente de “deslocados de guerra” que tornou-se objeto de um acordo do qual o Brasil foi um dos primeiros signatários, atendendo ao interesse nacional brasileiro de trazer mão-de-obra qualificada e ao interesse dos aliados de livrarem-se do encargo da repatriação forçada, da manutenção dos campos ou da entrega dos habitantes dos campos à Alemanha ou Áustria:

        Apesar  de  numericamente  muito  inferior  em  termos  absolutos, a  imigração  dos chamados  “deslocados  de  guerra”  num momento imediatamente posterior à guerra é importante por diversos motivos. O Brasil foi um dos primeiros países a se interessar pela seleção desse tipo de imigrante e um dos primeiros signatários do acordo proposto pela ONU para a colocação desses imigrantes. Não se tratava do propalado desejo de ajudar a resolver um problema humanitário, mas do interesse pela mão de-obra qualificada desses imigrantes.

        Para  os  Aliados,  quatro  soluções  se  apresentavam  para resolver  o problema dos remanescentes da guerra nas chamadas zonas americana, inglesa, francesa e russa:

a)  repatriação  forçada;  b)  fechamento  dos  campos  e  entrega  dos  seus habitantes à Alemanha e à Áustria; c) manutenção indefinida dos mesmos nos referidos campos; e d) estabelecimento noutras terras, de preferência distantes (Lobo, 1950: 92).

        A solução foi a criação de um organismo especial da ONU, a OIR, com sede em Genebra. Embora o Brasil não fosse dos primeiros a ratificar o acordo que criava a OIR, foi dos primeiros a assiná-lo e, mais importante, foi o primeiro país a enviar uma comissão à Alemanha para a seleção inicial de 1.000 famílias, num total de 5.000 pessoas. (SALLES, 2007, p. 188)


MAIS INFORMAÇÕES SOBRE CITAÇÕES

CITAÇÃO DE CITAÇÃO

  • em caso de autor citado dentro de uma obra da sua REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA, nunca deixe de citar a obra de referência;
  • ex: Michel Foucault (1976 citado por / apud / conforme / segundo SOUZA e GALLO, 2002, p. xx); ou
  • ex: (FOUCAULT, 1976, p. xx apud SOUZA e GALLO, 2002, p. xx)

CITAÇÃO VERBAL

  • coloca-se ao final da citação a seguinte expressão, entre parênteses: (Informação verbal);
  • coloca-se em nota de rodapé os dados disponíveis sobre a informação verbal, ex: Informe passado em reunião ….., em mês de ano.

CITAÇÃO DE TRECHOS OUVIDOS EM AULAS, PALESTRAS, DEBATES, ETC:

  • indicar entre parênteses a expressão (informação verbal);
  • mencionar os dados disponíveis em NOTA DE RODAPÉ.

CITAÇÃO DE INFORMAÇÃO EXTRAÍDA DAS REDES DE COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA

  • indicar o endereço eletrônico no rodapé da página.

COMO UTILIZAR AS CITAÇÕES?
Utilize citações indiretas na maioria do seu texto e pouquíssimas citações diretas.

Seja econômico em relação à utilização de citações diretas, pois elas são uma cópia literal de um texto e não demonstram exatamente que você compreendeu e nem que soube expressar o que compreendeu. Utilize-as apenas em casos absolutamente necessários. Um bom texto (redação, pesquisa, resumo, resenha, relatório, etc) baseado em alguma fonte bibliográfica deverá conter citações indiretas, em sua maioria.

POR QUE PRECISAMOS CITAR DIRETA OU INDIRETAMENTE AS AUTORAS E OS AUTORES?

As citações são mais do que uma normatização, uma burocracia, são o “mapa das pedras” para o nosso leitor. Citar detalhadamente é um ato de generosidade e compartilhamento do que você já conhece.

Ao escrevermos um texto ou apresentarmos um trabalho precisamos indicar de quem são as ideias ali reproduzidas, deixar bem claro quem são os autores ou autoras das ideias:

  • por respeito ao seu trabalho, que exigiu estudos, pesquisas, esforços;
  • para que não fiquemos perdidos entre as ideias de diversas autoras e autores e saibamos por onde recomeçar se precisarmos reconstruir nossos estudos, pesquisas e textos, etc;
  • para que, ao lerem nossos textos ou ouvirem nossas apresentações, outros saibam onde buscar mais sobre o que essa pessoa desenvolveu;
  • para que quem nos orienta ou avalia nossa pesquisa possa conferir se compreendemos corretamente o que lemos ou ouvimos;
  • finalmente, para seguirmos a Lei de Direitos Autorais -a esse respeito leia Direitos autorais em trabalhos acadêmicos, de João Augusto Cardoso.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 6023. Informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002a.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10520 Informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de janeiro, 2002c.

CARDOSO, João Augusto. Direitos autorais no trabalho acadêmico. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_86/Artigos/PDF/JoaoAugusto_rev86.pdf>. Acesso em: 8 de set. 2015.

FRANÇA, Júnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para Normalização de Publicações Técnico-Científicas. 7ª. Ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004. 242 p.

(Este exemplar da Júnia Lessa França pode ser encontrado na Biblioteca da FCM: Faculdade de Medicina da UNICAMP)

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 – extraída do blog Seminário Pilar. Disponível em: <http://seminariopilar12.blogspot.com.br/p/normas-para-entrega-do-projeto_22.html&gt;. Acesso em: 3 de mai. 2014.

Anúncios
Esse post foi publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s