Exemplo de Mapa Conceitual feito para estudo próprio

A partir da uma Aula impressa sobre Recursos e Atividades em AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) do curso PIGEAD (LANTE/UFF/UAB), confeccionei um MC para meu próprio uso em estudos e futuras consultas ao conteúdo organizado.

Tentei utilizar os parâmetros linguísticos que Nicola orienta, mas não tive preocupação em ser rigorosa por tratar-se de uma mero exercício pessoal.

Quem quiser poderá acessar neste blog às postagens sobre as orientações de Nicola, com anotações sobre e os links para os vídeos da professora.

Também indico a postagem sobre o Programa Cmap Tools, que utilizei para fazer o MC adiante.

2 BRASILEIRO, C.-MC-Recursos e atividades em AVA - Como escolher atividades para AVA

Mapa Conceitual sobre Aula 4 -Recursos e Atividades em AVA, de Brasileiro, 2017, PIGEAD – confeccionado por Edwiges Rabello de Lima

A MC adiante é um desdobramento de partes que não pude desenvolver no primeiro: “Recursos: Estrutura e Aplicação”. (Ainda está em processo de construção, mas é bom que tenhamos o exemplo também em processo:

4 BRASILEIRO, C.-MC-Rec. e ativ. em AVA-REC...REDUZIDO

Edwiges


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASILEIRO, Cristiane. Aula 4: Recursos e atividades em ambientes virtuais. Disciplina Planejamento de Curso a Distância com Foco no Aluno, curso PIGEAD/LANTE/UFF/UAB. 2017. Disponível em: <http://pigead.lanteuff.org/pluginfile.php/60620/mod_resource/content/8/Aula_4.pdf&gt;. Acesso em: 9 ago. 2017.

LUIZ, André. Mapas Conceituais – Utilizando o Cmap Tools. Youtube, 2011. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=uJaT9LlKvn4&gt;>. Acesso em 10 ago. 2017.

NICOLA, Rosane M. de S.. Mapa Conceitual: Parte 3. Youtube, 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ZxbLfTQYie8&t=6s&gt;>. Acesso em: 4 ago. 2017.

NICOLA, Rosane M. de S.. Mapa Conceitual: Parte 1. Youtube, 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=OTRFAL9psMk&feature=youtu.be&gt;>. Acesso em: 4 ago. 2017.

NICOLA, Rosane M. de S.. Mapa Conceitual: Parte 2. Youtube, 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=brsd9LVipQg&gt;. Acesso em: 4 ago. 2017.

NICOLA, Rosane M. de S.. Mapa Conceitual de Leitura usando o Cmaptools. Youtube, 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=QdLRWwd-1kc&gt;>. Acesso em: 8 ago. 2017.

Anúncios
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Benito Damasceno: memória e a aprendizagem

Benito Damasceno, neurologista, pesquisador e professor da Unicamp fala ao site Oxigênio sobre memória e a aprendizagem

Benito Damasceno

Benito Damasceno


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

OXIGÊNIO. Entrevista com Benito Damasceno sobre memória e a aprendizagem. Disponível em: <http://oxigenio.comciencia.br/entrevista-com-benito-damasceno-sobre-memoria-e-a-aprendizagem/&gt;. Acesso em: 10 ago.2017.

Publicado em Motivação, Atenção, Concentração, Memória | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Preenchimento de Guia da previdência Social (INSS) – GPS

Para preenchimento da GPS (Guia da Previdência Social):

  1. acesse o site da Previdência Social e clique em “CALCULE”, no quadro verde:1.jpeg
  2. Clique em “Calcular Guia/Carnê”, no quadro verde:2.jpeg
  3. No quadro…

3

escolha uma das 3 opções…

4

  1. Preencha com seus dados

5

Publicado em Vida Prática/Cidadania | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

1o. vídeo de Nicola: “Mapa Conceitual Parte 1” (Plano de Leitura)

Acesso aos 3 vídeos sobre Mapa Conceitual, com explicação da professora Rosane M. de S. Nicola, da PUCPR:


UMA ABORDAGEM SOB A PERSPECTIVA LINGUÍSTICA DO MAPA CONCEITUAL

Nicola prepara o Plano de Leitura (no 1o. video) e organiza o MC demonstrando cada passo no processo de Leitura (2o. e 3o. vídeos), a partir de uma perspectiva da linguística, valorizando cada detalhe na seleção de palavras chaves e separando criteriosamente as palavras e ideias do autor das do leitor, buscando apreender o estabelecimento de relações lógicas e significativas nesse diálogo autor-leitor.


Toda leitura deve ser feita com anotações, com um objetivo
para guiar a compreensão do livro: "Leitores sem objetivo
não têm nenhum resultado muito fidedigno, não vão poder
usar aquele conhecimento com mais clareza do que aqueles
leitores mais exigentes, que são capazes de voltarem ao
trabalho que leram há uma ano, por exemplo e resgatar com
toda qualidade aquilo que fizeram de leitura".
Ela ressalta: "Lê melhor quem lê com um lápis na mão."
(Nicola)

INTRODUÇÃO ÀS EXPLICAÇÕES DE NICOLA NO 1o VIDEO

Mapa Conceitual (MC) como estratégia de leitura para ‘texto longo’:

  • é uma forma de ler, pesquisar, criar textos prévios para dar suporte a uma exposição oral, uma dissertação, uma tese, um TCC;
  • Nicola recomenda que, primeiramente, se desenhe o MC numa folha A3 e, depois, utilize o Cmap Tools;
  • nesse vídeo ela explica e demonstra:
  1. o início da construção de um Plano de Leitura a partir dos títulos das partes encontrados no sumário de um livro;
  2. o processo de seleção de palavras chaves, a partir dos subtítulos ou ‘chamadas’.
Fotoleitura: "Os mapas conceituais definem aquilo que os olhos
são capazes de memorizar enquanto leem". (NICOLA) 

ESSE É UM EXERCÍCIO DA INTELIGÊNCIA ESPACIAL, usar bem o espaço,
pois isso é importante para a língua, pois "nós estabelecemos
relações lógicas com as informações que temos, sempre em algum
espaço, seja num mural, quadro, a tecnologia, num slide" (NICOLA)

Observação: ela não explica nesse vídeo como fazer com livros que não tenham subtítulos ou ‘chamadas’, mas faz isso no vídeo seguinte.


INICIANDO O PLANO DE LEITURA

FOUCAULT,M-Capa-História da LoucuraEscolhi um livro diferente do que Nicola utilizou
como exemplo.
Farei o mapa conceitual de "A História da Loucura:
na Idade Clássica", de Michel Foucault

História da Loucura está divido em 3 partes;

  • a Primeira Parte contém os capítulos de 1 a 5;
  • a Segunda Parte contém os de 6 a 9;
  • a Terceira Parte contém os de 10 a 14.

DISPOSIÇÃO DOS TÍTULOS NO ESPAÇO DO MAPA CONCEITUAL

Inciaremos com a “Primeira Parte” do livro “História da Loucura”:

  • numa folha A3, ao redor do título da parte, distribua os títulos dos 5 capítulos;
  • crie a sua ordem, pois não importa a ordem em que os títulos ao redor estejam;
  • trace os fios ligando o título da parte aos títulos dos capítulos, (no programa será feito com o mouse)
  • deixe abertura em cada fio para colocar as palavras de conexão.

Mapa Conceitual 0Nicola orienta:

  • não é de cima para baixo, como um esquema;
  • é do centro para as laterais [periferia];
  • segundo Nicola o MC deve ser construído a partir de retângulos, exclusivamente.
O VALOR DO TÍTULO
É importante perceber o valor do título, pois ele representa o
objetivo do autor, sua meta a ser cumprida ao final da escrita.

ESTABELECENDO RELAÇÕES LÓGICAS A PARTIR DO PLANO INICIAL

REGRAS BÁSICAS

  1. Nos retângulos utiliza-se somente palavras e termos dados
    pelo autor do livro,  acompanhando, assim, o pensamento dele.
  2. Fora dos retângulos, como nos vazios dos fios, somente
    palavras do leitor. Não são ideias do leitor. São termos
    coesivos (como: que, e, então, portanto, o qual e outros termos)
    que expressam as relações lógicas das ideias do autor com as suas,
    demonstrando que enquanto você lia estabeleceu tais relações
    lógicas.

PALAVRAS DE CONEXÃO

As palavras de conexão não podem ser significadas, pois elas é que significam os outros termos, ou seja, relacionam um termo com o outro.

PORTANTO, "O MAPA CONCEITUAL É A REPRESENTAÇÃO DA LEITURA", "é a
representação da sua leitura, como um diálogo entre o texto, o
autor, e você, como leitor" (NICOLA).

VERBOS DE DIZER*

  • usamos “os verbos de dizer” , pois são eles que dão a introdução da voz do outro;
  • utilizamos para fazer a relação inicial do título da parte com  os títulos dos capítulos;
  • não será obrigatório/necessário utilizar verbos de dizer nas etapas seguintes;
  • exemplo do que é um verbo de dizer: “Foucault afirma“;
  • exemplo do que não é um verbo de dizer: “Segundo o autor”.

*Nicola refere-se a um estudo anterior sobre resumos, que explicaria o que são esses verbos e dizer.

ABREVIATURAS

“Os mapas conceituais permitem que você use siglas, abreviaturas, sinais matemáticos, símbolos nas conexões, nunca dentro dos retângulos” (NICOLA)


SELEÇÃO DE PALAVRAS CHAVES A PARTIR DAS ‘CHAMADAS’ OU SUBTÍTULOS

O QUE É A 'CHAMADA' OU SUBTÍTULO?
Como numa reportagem, etc, é um subtítulo mais longo, antes
do texto completo. É uma maneira do autor explicar para o
leitor qual o objetivo dele.

Nicola orienta como dispor as palavras chaves no MC:

  • abra os campos de leitura;
  • “os campos podem ficar em torno de todo o retângulo“;
  • o MC deve “estar linear, correto, caprichado, com a apresentação que qualquer pessoa possa compreender“;
  • a gestão do papel é fundamental, para dar qualidade ao MC;
  • a letra deve ser pequena, mas legível.

Nicola explica como são selecionadas as palavras chaves:

  • as palavras chaves iniciais são encontradas nos subtítulos ou ‘chamadas’;
  • títulos muito longos, com mais de 7 ou 8 palavras, por exemplo, exigem uma seleção de palavras chave;
  • REGRA BÁSICA IMPORTANTE: não repita informações*, portanto, ao ler selecione apenas as palavras chaves imprescindíveis;
  • descarte todas palavras que podem ser inferidasdeduzidas;
  • tipos de palavras chave importantes: substantivos, verbos;

*O autor do livro utiliza a repetição como estratégia argumentativa de convencimento.

Nicola exemplifica a seleção de palavras chaves numa 'chamada'
do livro que utiliza.
No caso de nosso livro, A História da Loucura não há 'chamadas'
ou subtítulos. Portanto, teremos que fazer esse exercício 
a partir da leitura do conteúdo de cada capítulo.

VEJA A CONTINUIDADE DAS EXPLICAÇÕES NA POSTAGEM: 
"2o. e 3o. vídeos de Nicola: “Mapa Conceitual Parte 1”
e “Mapa Conceitual Parte 2” (Desenvolvimento da Leitura)"

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FOUCAULT, Michel. A História da Loucura: na Idade Clássica. São Paulo: Editora Perspectiva S. A.: 2010.

NICOLA, Rosane M. de S.. Sem data. Mapa Conceitual: Parte 1. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=OTRFAL9psMk&feature=youtu.be&gt;. Acesso em: 4 ago. 2017.

 

 

 

Publicado em Aprendendo a Aprender, Mapa Conceitual | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

2o. e 3o. vídeos de Nicola: “Mapa Conceitual Parte 1” e “Mapa Conceitual Parte 2” (Desenvolvimento da Leitura)

Acesso aos 3 vídeos sobre Mapa Conceitual, com explicação da professora Rosane M. de S. Nicola, da PUCPR:


Ler com objetivo exige esforço, pois o cérebro divaga.
O cérebro só funciona com língua para a leitura
do texto, com palavras.
Para evitar o engano, a frustração, perda de tempo,
é necessário ter estratégia para a leitura.
Além de que, aprendizagem significativa ocorre mediante esforço.

ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE PALAVRAS CHAVE E ORGANIZAÇÃO DE MAPA NA PARTE DE TEXTO

Cada parágrafo é a menor unidade significativa do texto
(para 'seres textuais'). 
Não é a frase a menor unidade significativa
(para 'seres frasais').

Nicola orienta:

  • ao selecionar as palavras chaves dos parágrafos para preencher os campos de leitura sempre utilizes verbos, substantivos e qualificativos;
  • a partir dos campos de leitura com títulos e palavras chaves centrais, tudo que será buscado no texto tem a finalidade de explicar/responder a esses pontos de partida;
  • todo restante é descartável para o MC;
  • durante a leitura sublinhe todas palavras ou expressões que considere que ajudem a explicar/responder seu ponto de partida;
  • após ter selecionado e montado alguns campos de leitura com ideias representadas por palavras chaves, pare para estabelecer relações, antes que seu cérebro esqueça-as.

EXEMPLIFICAR, COM UM PARÁGRAFO E SELECIONANDO AS PALAVRAS CHAVES


ESTABELECENDO RELAÇÕES ENTRE AS IDEIAS DO AUTOR

Não se usa pontuação fora dos retângulos.
Dentro deles, somente se fizer parte da escrita do autor
do livro ou texto.

Nicola orienta:

  • caso tenha um verbo do autor, ele tem que ficar dentro do retângulo;
  • somente as palavras do leitor (verbos e palavras de conexão) ficam fora do retângulo, estabelecendo as conexões que expressam a compreensão do leitor;
  • ao encontrar verbos com a função de comandas, devemos mexer no texto do autor e colocar o verbo em outra conjugação ou no infinitivo;
  • evita-se copiar perguntas do texto, pois em ciência/pesquisa evita-se formas metafóricas e subjetivas -muitas vezes os autores utilizam esse recurso argumentativo;
No MC não conversamos com o leitor do mapa, portanto temos
que ficar atentos a como escrevemos dentro e fora do retângulo.
  • preste atenção aos travessões, pois sua função é destacar a importância da ideia contida em seu interior;
  • MOMENTO DE TOMAR DECISÕES quanto a palavras/ideias que podem estar contidas no MC;
  • NÃO ESCREVA INCLINADO, ATRAVESSADO ETC, sempre escreva em linha reta;
  • tudo que estiver entre parenteses ou que o autor fala sobre o futuro do texto, é descartável;
  • só se abre um novo retângulo quando se esgotaram todas as informações sobre um, mesmo que elas apareçam em lugares diferentes do texto;
  • além dos fios interligando dois retângulos, podemos abrir ‘chaves de fios’, conectando um retângulo a vários itens relacionados a ele e que sejam da mesma categoria (exemplo: motivo e seus 4 tipos);
  • utiliza-se abreviaturas, pois no MC não pode separar sílabas (exemplo: buscar esclareci/ maior).
O que é aprendizagem significativa?
Aprendizagem significativa é aquela que exige um esforço
que imprime uma marca em nossa memória sobre o que foi
apreendido.
Ao estabelecer-se relações entre as ideias lidas,
realiza-se um esforço.

Dica de abreviação: isto é = i.e.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NICOLA, Rosane M. de S.. Mapa Conceitual: Parte 2. Sem data. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=brsd9LVipQg&gt;. Acesso em: 4 ago. 2017.

NICOLA, Rosane M. de S.. Mapa Conceitual: Parte 3. Sem data. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ZxbLfTQYie8&t=6s&gt;. Acesso em: 4 ago. 2017.

Publicado em Aprendendo a Aprender, Mapa Conceitual | Marcado com , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Programa Cmap Tools

Onde encontrar o Cmap Tools para baixar?

  1. No site Cmap, selecione no Menu Products a opção “Cmap Tools”.

Cmap1

2) Na página do Cmap Tools, baixe gratuitamente o programa.


Como utilizar o Cmap Tools?

Indicarei adiante uma série de tutoriais, manuais etc que auxiliam no manejo do CMAP Tools, após sua instalação.

TUTORIAL 1 – Mapa Conceitual de Leitura usando o Cmaptools” – Rosane Nicola

Neste tutorial, a professora Nicola explica como organizar de maneira básica um mapa conceitual. O diferencial desse vídeo é o fato dela preocupar-se em observar os aspectos linguísticos já explicados em 3 vídeos que sintetizei nas seguintes postagens, neste blog:

1o. vídeo de Nicola: “Mapa Conceitual Parte 1” (Plano de Leitura)

2o. e 3o. vídeos de Nicola: “Mapa Conceitual Parte 1” e “Mapa Conceitual Parte 2” (Desenvolvimento da Leitura)


TUTORIAL 2 – Mapas Conceituais – Utilizando o Cmap Tools.” – André Luiz

Neste tutorial, André Luiz demonstra algumas orientações técnicas importantes, apesar de não ser um exemplo tão bem elaborado em termos linguísticos como o de Nicola.

Ele explica: formatação de fontes; de objetos; de linhas (incluindo as setas); como organizar em ‘um grande nó’; e, colocar comentários.


MANUAL 1 – MANUAL DO IHMCCmapTools, Parte 1 – Uso Rápido – Simão Pedro Pinto Marinho



Atualizarei periodicamente esta postagem.
Caso tenham outras sugestões de tutoriais ou sobre a
utilização do cmap tools, acrescentem nos comentários.
Se incorporar suas informações na postagem, direi quem
indicou. Edwiges

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

LUIZ, André. Mapas Conceituais – Utilizando o Cmap Tools. Youtube. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=uJaT9LlKvn4&gt;. Acesso em 10 ago. 2017.

NICOLA, Rosane M. de S.. Sem data. Mapa Conceitual de Leitura usando o Cmaptools. Youtube. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=QdLRWwd-1kc&gt;. Acesso em: 8 ago. 2017.

Publicado em Aprendendo a Aprender, Mapa Conceitual | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Tese destaque USP: unidos pela escravidão

Esta postagem, copiada do blog Hum Historiador, compila vídeos de grande relevância para o conhecimento sobre as escravizações de negras e negros africanos para as Américas do Norte, Centro e Sul.

Hum Historiador

A página do Ciência USP lançou uma série de quatro vídeos buscando resumir uma das melhores teses da USP defendidas em 2016: a do doutor Tâmis Peixoto Parron, intitulada “A política da escravidão na era da liberdade: Estados Unidos, Brasil e Cuba, 1787-1846”. Como descrito na página, a tese mostra que esses países usaram laços comerciais para sustentar a política escravocrata, apesar de o século XIX ser marcado pela aspiração à liberdade.

Repercuto aqui os vídeos, sobretudo, por ver dia após dia inúmeros equívocos de interpretação sobre a escravidão africana e o escravismo sendo divulgados na Internet, alimentando pessoas que tentam minimizar os efeitos da escravidão na formação das sociedades americanas sob o argumento de que “eram os próprios africanos quem capturavam, escravizavam e vendiam os negros para os europeus”.

Portanto, recomendo vivamente a todos que dispuserem de alguns minutos para assistirem a esses vídeos, que o façam e reflitam sobre tudo o que têm ouvido…

Ver o post original 91 mais palavras

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Opressão

Patrícia Hill Collins define, em seu livro Black Feminist Thought, que:

“Opressão descreve qualquer situação injusta em que, de forma sistemática e durante um longo período de tempo, um grupo nega a outro grupo o acesso aos recursos da sociedade.” (COLLINS, 2002: 4)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COLLINS, Patrícia Hill. Black Feminist Thought: knowledge, consciousness, and the politics of Empowerment. New York: Talylor & Francis e-Library, 2002.

Publicado em Classes sociais, Conceitos, Desigualdades e Diferenças, Desigualdades Sociais, Raça/Racismo, Sexo/Gênero | Marcado com , , , | Deixe um comentário

2016/PROJETO DE INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA E AO TRABALHO ACADÊMICO

PRIMEIRO BIMESTRE

  1. APRESENTAÇÃO DO PROJETO “Iniciação à Pesquisa Científica e Trabalho Acadêmico em Sociologia – Ensino Médio”

  2. TIPO DE PESQUISA CIENTÍFICA: Revisão Bibliográfica


  3. CARACTERÍSTICAS DO TRABALHO ACADÊMICO: conteúdo, aspectos linguísticos, aspectos formais


  4. DICAS PARA ORGANIZAÇÃO DE SEUS ARQUIVOS DE PESQUISA


  5. RELATÓRIO DE PESQUISA


  6. SONDAGEM SOBRE A TEMÁTICA ou PRÉ-PESQUISA


  7. ESCOLHA DA ÁREA TEMÁTICA


  8. RECORTE DA ÁREA TEMÁTICA/TEMA


  9. FORMULAÇÃO DA QUESTÃO DE PESQUISA ou HIPÓTESE


  10. ROTEIRO DE PESQUISA


  11. NORMAS ABNT PARA REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS – NBR 6023/2002


  12. LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO


  13. SELEÇÃO DA BIBLIOGRAFIA A SER RESUMIDA


  14. NORMAS ABNT PARA CITAÇÕES DIRETA SE CITAÇÕES INDIRETAS


  15. PARÁFRASE


  16. RESUMOS, FICHAMENTO, RESENHA

SEGUNDO BIMESTRE

  1. ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO

  2. ELEMENTOS TEXTUAIS DO TRABALHO ACADÊMICO: INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO, CONCLUSÃO

TERCEIRO BIMESTRE

  1. NORMAS ABNT PARA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO: TRABALHOS ACADÊMICOS – APRESENTAÇÃO – NBR 14724

  2. ANEXOS


  3. REVISÃO DO TRABALHO ACADÊMICO

QUARTO BIMESTRE

  1. APRESENTAÇÕES DAS PESQUISAS CIENTÍFICAS
Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Danielle, 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/2a Série/Danielle, 2016/1o.Bim/2a Série/Edwiges, 2016/1o.Bim/3a Série/Danielle, 2016/1o.Bim/3a Série/Edwiges, Metodologia de Pesquisa | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

2016/Aulas do 1o. Bim-1a Série/Edwiges

Acesse no OneDrive: 2016/Aulas do 1o.Bim-1a Série/Edwiges

1) O que é sociedade?

2) Capacidade biológica humana para reflexão e para criar linguagem

3) As ciências sociais e como fazer pesquisa científica

 

Publicado em 2016/1o.Bim/1a Série/Edwiges, Sem categoria | Marcado com , , | Deixe um comentário